terça-feira, 31 de março de 2015

Danças Circulares

"A arte folclórica é indígena tem suas origens na vida social da comunidade. Seu ambiente é na zona rural, ao alcance dos campos e das casas das famílias, na praça da aldeia, ao ar livre. É uma arte da intimidade. Os dançarinos formam um círculo uns frente aos outros. Não se preocupam com espectadores, não precisam de público. Para mim o fundo religioso e ritualístico  das danças logo tornou-se evidente e continuou a revelar-se cada vez mais. Para se compreender estas danças temos que dançá-las, nos concentrar nelas; elas têm que se tornarem nossas: é desta forma que podemos ter a experiência dos seus efeitos terapêuticos e de cura.  Aí então o dançarino pode tornar-se consciente das origens religiosas das danças, e do caminho para a integração que podem oferecer: libertação do isolamento para adentrar na comunidade, rumo a uma união vibrante. O dançarino se torna o recipiente da energia fluindo de uma fonte continuamente renovadora."

                                                                      Palavras de Bernhard Wosien
Tradução para o inglês de Jill Welfare na revista Grapevine Winter 2014, traduzido para o português por Dorothy Pritchard.